Hanatoro em Arashiyma e Higashiyama

October 3, 2016

Kei Yamawaki e Misaki Luciana Teruya

 

HANATORU é o caminho iluminado por lanternas, um dos mais recentes festivais de Quioto. Com início em 2002, este caminho iluminado liga os mais famosos templos desta cidade.

Em Arashiyama, tirando vantagem da beleza da paisagem natural, das florestas de bambu e dos seus monumentos históricos, cerca de cinco quilómetros de caminho são iluminados com lanternas, que oferecem uma perspetiva única a quem por aqui passa. Algumas destas iluminações são colocadas em arranjos florais, um trabalho feito em colaboração com a Associação de Ikebana de Quioto.

k(Bumbo floresta)

kl(ponte de togetsu)

O HANATORU de Arashiyama pode ser apreciado de 9 a 18 de dezembro de 2016, entre as cinco da tarde e as oito da noite.

Pode vir até Harashiyama de autocarro / ônibus (número 28, 11 ou 93) ou de comboio / trem.

Já em Higashiyama são mais de 2500 lanternas que cobrem cinco quilómetros desta famosa montanha. Para quem vem de norte, o caminho passa pelo Templo Shoren-ji e o Parque Maruyama, seguindo depois para o Santuário Yasaka-jinja e o Templo Kyomizu-dera. Algumas das lanternas colocadas em bambu do Parque Maruyama criam uma atmosfera mágica!

kllklllkllll(lanternas)

O HANATORU de Higashiyama pode ser apreciado de 3 a 12 de março de 2017, entre as seis da tarde e as nove e meia da noite.

Pode vir até Higashiyama de autocarro / ônibus ou de comboio / trem (cerca de dez minutos a pé desde a Estação Higashiyama da Linha Tozai do metro de Quioto).

klllllll(Mapa de Higashiyama)

lklllllll(Mapa de Arashiyama)

Kurama-dera

by Madoka Kotani; Misaki Tada; Yasuyuki Ouchi

 

O que é o Kurama-dera?

O Kurama-dera é um templo localizado na montanha ¨Kurama¨ em Quioto. Há muitas montanhas em Quioto, e esta fica no norte da cidade e a sua beleza é bem conhecida há muito tempo. Mas desde o ano de 770, esta montanha se tornou a familiar para os japoneses como uma montanha sagrada.

No ano de 770, este templo de budista foi construído na montanha pelo monge Gantei, que era o Grande Sacerdote de Ganjin. Ele ofereceu um ídolo budista chamado ¨Bishamon¨, que está no fundo de uma sala do templo. Em outros templos no Japão, as coisas mais importantes devem ser guardadas no fundo da sala.

Gantei decidiu edificar este templo porque, uma noite, ele viu um diabo no seu sono e este disse-lhe que existia uma montanha sagrada a norte de Yamashiro (o nome de uma região antiga no Japão). Quando Gantei caminhou para esta montanha, uma ogre feminina atacou-o e ele ficou muito ferido, quase a morrer. Felizmente, conta a lenda que um Deus japonês, ¨Bishamon¨, o salvou. Então ele decidiu criar um templo para adorar esse Deus nesse lugar da montanha que agora se chama Kurama.

Mais tarde, no ano de 796, havia um construtor cujo nome era Isehito Fujiwara. Ele era o chefe dos construtores de um outro templo, que se chama¨Toji¨. Ele sonhava construir um templo em honra de ¨Kannon¨. Quando viu um sonho em que Kannon aparecia na montanha Kurama, ele foi lá para confirmar se o seu sonho era verdade. Quando lá chegou não encontrou “Kannon”. Porém, em outro sonho, ouviu um Deus com figura de criança a dizer: ¨Na verdade, ¨Kannon¨ e ¨Bishamon¨ são o mesmo deus, apenas com nomes diferentes.¨ Isehito acreditou nestas palavras e colocou o ídolo de ¨Sente Kannon¨, criado novamente junto de ¨Bishamon¨.

O templo Kurama-dera aparece em muitas obras literárias japonesas. No livro de ¨Makurano-soushi¨, que é um dos mais famosos do Japão, o caminho de ¨Tsuzuraori¨ é desenhado por Seisho Nagon.

 

  

 

  

 

Eventos anuais

 

・Takekiri Eshiki     20 de junho

É uma cerimónia de corte de bambu, baseada numa lenda sobre o monge Buen. Esta cerimónia realiza-se para rezar por uma colheita abundante.

Quatro estacas de bambu são colocadas no santuário principal e dois bambus com raiz simbolizam a cobra fêmea e outros bambus sem a raiz a cobra de macho. Os quatro bonzos dividem-se em dois grupos, que representam os lados  leste e oeste do Monte Kuruma. Após o sinal, as equipas correm para cortar os bambus com golpes de espada em 8 pedaços e a vitória ou a derrota depende desta rapidez. A área da equipa vencedora terá uma colheita abundante nesse ano.

 

・Kurama no Hi-Matsuri     22 de outubro

Este festival decorre no Santuário Yuki-jinja. Às seis da tarde, pessoas carregam tochas de fogo e anunciam a chegada do festival com cântigos de “Saireya-Sairyo”. A parada dura toda a noite. Toda a zona de Kurama fica embrulhada pelo fogo, no que é conhecido como um dos três festivais mais excêntricos de Quioto.

  

 

Informação

・Endereço: 1074 Kurama-Honmachi Sakyo-ku Kyoto-shi

Da estação de Kyoto:  Tome o autocarro / ônibus municipal número 4 ou 17.

Na paragem de ¨Demachiyanagi eki mae¨(Frente da Estação Demachiyanagui), saia do autocarro / ônibus e tome o comboio / trem de Eisan até a Estação de ¨Kurama¨. Depois tem de andar 5 minutos a pé.

・Telefone: 075-741-2003

・Horário: 9:00 – 16:30

・Entrada:  Adultos – 200 ienes

Crianças (até alunos da escola secundária)  – gratuito

 

Monte Kurama e o Templo Kurama

by Sato Masataka; Kiyomasa Taniguchi; Mitunobu Tokunaga

Kurama-Yama
[ Monte Kurama e o Templo Kurama ]


Sobre o monte Kurama

O monte Kurama (Kurama-yama) fica no norte da cidade de Kyoto. Todos os anos, muitos turistas visitam este monte.

O monte Kurama é alvo da veneração de muitos visitantes. Diz-se que os espíritos dos Amor, Luz e Força coexistem neste monte.

O monte Kurama é um local com história, literatura,arte, e natureza, mas é também um monte de veneração. Bonzos budistas visitam-no na procura do ascetismo. Neste monte há vários templos, cada um com a sua divindade.

Aqui residem várias lendas. O quadro acima é a aparição fantástica de KURAMA-TENGU. Diz-se que KURAMA- TENGU mora desde há muito tempo.

1o pórtico dos dois deuses-guardiões

Aqui se pode ver NIO-MON(o pórtico NIO). Este pórtico, representando os dois deuses-guardiões, foi reconstruido em 1911.Este portão é a entrada do monte. A entrada custa 200 ienes.

O templo xintoísta yuki

Aqui se pode ver o templo xintoísta Yuki, reconstruido em 940. Yuki significa “estojo das flechas “. Este templo foi edificado para a paz no mundo.

a torre do ofício/ o Príncipe Yoshitsune

Nesta imagem vemos o lugar onde Minamoto-no-Yoshitune morava. Ele é um homem famoso na História do Japão e um general dos finais da era Heian. Diz-se que quando ele era ciança, perdeu seu pai e foi deixado neste templo. KURAMA-TENGU viu Yoshitune e sentiu pena. Então KURAMA-TENGU acolheu-o e ensinou-lhe as artes marciais. Esta lenda é muito famosa no Japão e episódio frequente na literatura japonesa.

Inochi

Inochi é o símbolo deste monte (uma estátua que representra amor, luz e força).Tyumon

Este portão se situa antes de NIO.

Tenporindo

Uma imagem budista com 3m e 5,60cm senta-se com dignidade.

Hondenkondo

Este templo xintoísta é o maior da montanha. Há um tesouro por debaixo desta construção.

Osugigongen

Este cedro tem mais ou menos mil anos. Os crentes vêm orar aqui.

Santuário de Yoshitune

Minamoto no Yoshitune é venerado neste santuário. Yoshitune se suicidou após uma luta em 1189, mas diz-se que alma permanece aqui.

Okunoinmaouden

Diz-se que satanás veio do planeta Vénus há 6 milhões e 500 mil anos. Esta construção consola-o.

Aqui se pode ver a saida do monte. Desde a entrada, este percurso demora mais ou menos uma hora e meia.

A festa da fogueira do monte KURAMA:

Em 940, se realizou a primeira festa da fogueira do monte KURAMA. Diz-se que as pessoas que viviam em Kyoto oraram pela paz; em mais ou menos 940 o mundo estava caótico pelas lutas, calamidades naturais (terremotos, etc).

Durante esta festa, realiza-se uma cerimônia onde se acende uma grande fogueira.

INFORMAÇÕES ÚTEIS

Telefone :

0757412003

Entrada :

200 ienes

Acesso:

descer na estação de Kurama.

Hotsugawa-kudari

by Mitsunobu Tokunaga; Takamasa Nishizaki

A história de Hotsugawa-kudari

Hotsugawa-kudari é percurso de 16 quilômetros feito por barco entre Kameoka e Arashiyama. Diz-se que Hotsugawa-kudari começou como transporte entre matérias primas entre Quioto e Osaka, aproveitando a corrente das águas. Tal aconteceu quando Nagaokakyo era a capital do Japão. Desde que esta via fluvial foi aberta na época de Edo, arroz, trigo e lenha eram transportados por pequenas barcas. Com a industrialização do Japão, os caminhos de ferro substituiram este percurso que se tornou desde então um importante ponto turístico de Quioto. Ainda hoje mais de 30 mil pessoas visitam este lugar.

Modo de se diversão

Com este passeio, poderá ver a bela paisagem de Quioto, desde as cerejeiras em flor, na primavera, até as magníficas folhas vermelhas de outono.

Alguns avisos

Cada barco só pode levar dez pessoas, por isso a reserva deve ser feita com bastante antecedência.
Em caso de mau tempo, os barco não poderão efetuar o passeio.

Souvenirs

Pode comprar lembranças (especialidades de Quioto e Tamba)

Hotsugawa-kudari e o trem

Alguns turistas tomam o trem após a viagem de barco, como complemento ao passeio.

Duração da viagem

O passeio na embarcação demora cerca de uma hora e meia.
Horários (de 10 de março até 30 de novembro)


Passeios regulares

9:00 10:00 11:00 12:00 13:00 14:00 15:30 
9:00
 10:00 11:00 12:00 13:00 14:00 15:30 

Barcos reservados

Dias úteis apenas, de acordo com a hora da reserva.

Horários (de 1 de dezembro até 9 de março)


Um  regular do barco

10:00 11:30 13:00 14:30

10:00 11:30 13:00 14:30

Tempo de viagem: cerca de 100 minutos

Pode ser cancelado devido ao mau tempo

Um barco tem capacidade para 24 pessoas

A viagem não é efetuada entre 29 de dezembro e 4 de janeiro

Tarifas

Passeios regulares


¥ 3.900 adultos,¥ 2.500 crianças (dos 4 aos 12 anos).

Barcos reservados


Barco até 17 pessoas por ¥ 78.000.


Descontos para grupos

5% entre 40 e 120 pessoas
10% para mais de 121 pessoas

Acesso

Na Estação de Quioto (JR), tome o trem até Kameoka. Depois tem de tomar um ônibus para Hotsugawa-kudari

O bilhete

Os bilhetes podem ser adquiridos em qualquer balcão dos JR (Japan Railways) a partir de um mês de antecedência.

Matsuo-Taisha

by Mitsunobu Tokunaga; Takamasa Nishizaki

Matsuo-taisha é um dos templos xintoístas mais antigos de Quioto. No recinto do templo, há três jardins japoneses cheios de beleza e que causam boa impressão por causa da colocação das pedras. Os nomes desses jardins são Jyoko, Kyokusui e o Hourai. Este também é famoso por ser o Deus das bebidas alcoólicas. No recinto do templo, há a água de Kamei que se diz especialmente apropriada para a fermentação, a fazer fé nos comerciantes de bebidas alcoólicas. Além disso, esta água é famosa por ser considerada causa de longevidade da vida. Aqui decorre também o Festival Matsuo.

O jardim de Jyoko(também conhecido por Iwakura)

Jyoko significa“Há muito, muito tempo atrás”.
Antigamente, diz-se que não era um santuário neste templo xintoísta, e a pedra dentro do monte é o lugar onde o Deus fica.
Esse lugar também é chamado “Iwakura” ou “Iwasaka.
Esta obra mostra o lugar onde um ritual era cumprido, no monte Matsuo desde que este santuário foi construido.
Cada pedra deste jardim exprime um Deus.
Além disso, a pedra do centro exprime o Deus do homem e da mulher, e as pedras à volta mostram os deuses que obedecem à pedra do centro.

O jardim de Kyokusui

Foi durante o Período Heiyan que Matsuo-taisha mais prosperou e o jardim de Kyokusui exprime bem esse fato.

O jardim de Hourai

Hourai significa o mundo de um eremita lendário que vive nas montanhas da eterna juventude, e a idéia de Hourai que se sente atraída por esse mundo entrou na moda na época de Kamakura.
A pedra deste jardim parece a ave da eterna juventade, e as pessoas que vêemm isso sentem-se como se morassem no mundo do eremita lendário que vive nas montanhas.

O festival de Matsuo

O festival de Matsuo realiza-se há mais de mil anos.
Há duas cerimônias diferentes dentro do festival de Matsuo.
Uma é a Jinkou, em que os crentes são recebido na cidade, e a outra é o festival de Kankou, em que uma miniatura do santuário permanece durante três semanas na cidade (regressando depois a Matsuo-Taisha).

Data da realização

Primeiro domingo depois do dia 20 de abril.

O destaque

O festival Matsuo é famoso por Funatogyo.
Funatogyo significa o ritual xintoísta que manda do barco um espírito divino e o corpo de Deus até o mar ou o rio.
O destaque mais magnífico é que o santuário da miniatura manda do barco passa um rio de Katsura lentamente.

O objetivo deste festival

Este festival é cumprido para orar pela boa colheita e pela segurança dos crentes, e outros.

Acesso

Descer na estação de Arashiyama de trem (Linha Hankyu)

Dança de Gion

by Tomomi Serizawa

Todos os anos, entre os dias 1 e 10 de novembro, é possível assistir à dança das famosas Maiko e Geiko de Quioto. Durante estes dez dias, são realizadas duas apresentações diárias, às 13:30 e 16:00, respetivamente.

Em Quioto, existem cinco grupos tradicionais de Maiko e Geiko. A dança de novembro pertence ao grupo de Gion-Higashi.

Na primavera, os restantes quatro grupos também representam as suas danças:

Miyako-odori (1~30 abril)

Kyo-odori (7~22 abril)

Kitano-odori (15~25 abril)

Kamogawa-odori (1~24 maio)

Esta é uma das raras ocasiões em que qualquer pessoa pode assistir ao vivo à atuação das Maiko e Geiko.

ACESSSO

Praça Gion-Kaikan

Telefone: 075-561-1224

Estação de trêm: Shijo (Keihan Line); Kawaramachi (Hankyu Line)

Estação de metrô: Higashiyama

Data: 1 a 10 de Novembro (13:30~14:30 e 16:00~17:00)

Entrada: 4000 ienes (inclui chá verde e um prato japonês)
3500 ienes (sem chá e sem oferta de prato)



TEMPLO OTA E FESTIVAL AOI

by Tomomi Serizawa

O Ota-Jinja (Templo Ota) é um pequeno santuário xintoísta situado perto do Templo Kamigamo. Desde há muitos anos que este lugar é famoso, devido à beleza das íris que aqui florescem em Maio, todos os anos. Em 1190, o poeta Fujiwara-no-Shunzei compôs um poema em que imortalizou a beleza do Ota-Jinja. No roxo profundo dos lírios, este poeta viu um reflexo dos seus próprios sentimentos.

Todos os anos no dia 15 de Maio, aqui se realiza o Festival Aoi (Aoi Matsuri), cuja descrição está registada numa das mais famosas obras literária japonesas: o Conto de Genji (Genji-Monogatari). Durante este festival, uma procissão se realiza entre os templo Kamigamo e Shimogamo, tornando esta zona muito aconselhável a todos os turistas que aqui se desloquem em Maio. A procissão tem início às 10:30 da manhã, no Kyoto-Gosho (Palácio Imperial de Quioto) e chega no Templo Shimogamo, por volta das 11:30. Às 14:00, continua até ao Templo Kamigamo, onde chega às 15:30.

ACESSO TEMPLO OTA

Ponto de ônibus: Kamigamo-Jinja-Mae
Número de ônibus (Shi-bus): 4,46, 67
Número de ônibus (Kyoto-bus): 32, 34, 35, 36, 38, 39

Endereço:Kyoto-Gyoen 3, Kamigyo-ku
Estação de metrô: Imadegawa, Marutamachi (cerca de 8 minutos a pé)

O Santuário Xintoísta de Shimogamo

by Kozue Kaida

O seu nome verdadeiro é “O Santuário Xintoísta de Kamomioya”. Este santuário chama-se “Kamo-sha” por juntar com o Santuário Xintoísta de Kamigamo.
A história deste santuário é muito antiga, por isso, não se sabe ao certo quando foi construído. Desde o século V, a família Kamo aparecia como uma família poderosa e dominante. Este santuário deifica os espíritos ancestrais da família Kamo e celebra os deuses do xintoísmo.
Estes deuses são “Kamotaketsunumi-no-Mikoto” (o deus da paz mundial, dos cereais abundantes, do talismã, etc.) e “Tamayorihime-no-Mikoto” (a defensora feminina e a deusa de fertilidade, etc.).

<A Floresta de Tadasu>

Esta floresta, situada no interior do santuário, já aparece em obras clássicas da literatura japonesa “Genji-Monogatari” e “Makurano-Soshi”. De acordo com a lenda, Kamotaketsunumi-no-mikoto ouvia os pedidos de pessoas na floresta e julgava corretamente ou erradamente.

<Ro-mon e Mai-dono>


Passado o acesso ao santuário na Floresta de Tadasu, encontra-se um grande portal. Ao fundo, podemos apreciar “Ro-mon”, considerado uma importante herança cultural.
“Mai-dono”, o mais destacado dos palácios deste templo, é utilizado no Festival Aoi (Kamo-Sai)

<O Rio Mitarashi e a Ponte Sori>

No dia de canícula, realiza-se uma cerimônia em que as pessoas molham as suas pernas no rio e fazem preces para prevenir as pestes e as doenças. Ao lado desta ponte, existe uma famosa ameixeira chamada “Flor da Ameixeira de Korin”.

Perto do santuário, existe uma loja de doces, onde se pode comprar “Mitarashi-Dango”, um doce típico japonês, com a sua origem neste local. Este doce exprime as espumas das águas do fundo da lagoa. Esta loja chama-se “Kamo-Mitarashi Chaya”.

<O Festival Aoi>

Como uma festa representativa, todos os anos, em 15 de Maio, realiza o “Festival Aoi (Kamo-Sai)” com o Santuário Xintoísta de Kamigamo. Pensa-se que esta festa teve início no ano 545. No Período Heian, este festival já era famoso, mantendo-se ainda hoje como uma das celebrações mais conhecidas de todo o Japão.

<Acesso ao Santuário Xintoísta de Shimogamo>

Pegue o ônibus número 205 no terminal de ônibus da Estação JR de Quioto. Desça na parada “Shimogamo-jinja-mae”.

Santuário Xintoísta Yasaka

by Chihiro Udono; Akiko Gomi

Na zona leste de Kyoto, podemos encontrar o santuário xintoísta Yasaka. É conhecido pelo apelido de “Gion-san”, pois fica em Gion, bairro das gueixas. Ao visitar Kyoto, não podemos deixar de visitar Yasaka porque nos arredores deste santuário, há muitos lugares onde sentimos a atmosfera de Kyoto.

Neste santuário, deuses do xintoísmo são celebrados. Dizem que o deus principal daqui, “Susanô no mikoto”, é o protetor da agricultura e da saúde. Além disso, ele traz a paz ao país, sucesso nos estudos, laços de amor e prosperidade no comércio.

A religião xintoísta está bem arraigada entre os japoneses. Vou apresentar alguns costumes xintoísmos que encontramos neste santuário.

Esta família veio para o“miyamairi”,
um costume japonês de visita o santuário da sua terra natal. Quando chega o 31º dia do nascimento do filho e 33ºdia do nascimento da filha, visita-se o santuário para mostrar o bebê ao deus da sua terra natal. Quase todos os japoneses fazem esta visita. Bem parecido com o batizado, mas a diferença é que o “miyamairi”não pressupõe que a criança seja fiel à religião durante a sua vida.
E este é o casamento à moda xintoísta. Às vezes podemos ver o casamento celebrado desta maneira. Aqui no Yasaka, a mulher do deus Susanô também é celebrada. Portanto, muitos casais se casam aqui.

Como o“Susanô” é o deus da saúde, originalmente, este santuário foi construído para exterminar a epidemia da peste. A sua festa é muito famosa no Japão. Chama-se“Gion matsuri”( Festival de Guion). Começa em 1 de julho e acaba no dia 31. Esta festa é para tranquilizar os espíritos das trevas. Outro festival é o “Okera Matsuri”no fim e no começo do ano também para desejar boa saúde.

Essas festas existem há mais de 1100 anos. Os deuses de Yasaka tem protegido a nossa saúde por muito tempo.
Se for ao santuário Yasaka, poderá aproveitar para esticar o passeio. A leste, encontrará o Parque de Maruyama, famoso na primavera pela bela e imponente cerejeira. Ao sul, há o templo de Kiyomizu, também recomendado para visita.

Acesso para YASAKA: descer na“Estação de Hankyu Kawaramachi”e andar cerca de 10 minutos na direção leste.
*Se for da Estção JR Kyoto, pegar o ônibus número 206. Descer no ponto de “Gion”. Leva mais ou menos 20 minutos.