Como passear no Kinkaku-ji

October 16, 2017

Como passear no Kinkaku-ji para principiantes.

 

por Kei Yamawaki e Tomoki Matsuoka

O que é o Kinkaku-ji

“Kinkaku-ji”, também conhecido como “Templo Dourado”, fica em Quioto e é um monumento histórico construído por Yoshimitsu Asikaga, em 1397.

Em 1993, foi classificado pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade.

 

Restaurante

O Kinkakuji tem um recinto muito grande, por isso quem o visita tem de andar muito. Para quem ficar com fome, recomentamos o restaurante “Sea Food” (em japonês “思風都”). Este restaurante ainda não é conhecido pelos turistas que visitam Quioto, mas a sua comida é deliciosa.

Para o encontrar, ande para sul durante cerca de cinco minutos desde a paragem de autocarro / ponto de ônibus “Kinkakuji-michi”. Infelizmente, a homepage deste restaurante está em japonês: http://seafood-kyoto.com

 

Como passear no Kinkaku-ji

No recinto, a visita é praticamente impossível para quem precise de cadeira de rodas, por causa das inúmeras escadas. Mas se precisar, pode pedir uma bengala emprestada.

 

Sem dúvida que o melhor local para tirar fotografias no Kinkaku-ji é em frente da fonte de água. As pessoas fazem fila para usufruir deste local, mas vale bem a pena tirar uma fotografia com o templo a refletir na água.

cyunmwuveaakajk(Kinkaku-ji)

 

 

 

Acesso

Pode vir até ao Kinkaku-ji de autocarro /onibûs 12 ou 59.

Se usar o parque estacionamento do Kinkaku-ji, precisa de pagar 300 ienes por hora.

 

Preço

Adulto: 400 ienes

Crianças e adolescentes entre 6 e 15 anos: 300 ienes

 

Templo Kiyomizu-dera

by Ryota Kobayashi; Kazuya Oshima

Um dos lugares turísticos mais populares em Quioto, onde sempre se encontra uma grande quantidade de visitantes, desde grupos escolares até autocarros largando uma infinita maré de turistas.

Este templo, que é bastante extenso, contém no seu interior vários santuários e uma das melhores vistas sobre a cidade de Quioto. Para além da paisagem, deve-se destacar a Otowa-no-taki, uma queda de água sagrada para que os japoneses fazem longas filas, como se fosse tão milagrosa como, por exemplo, a de Lourdes.

 

image (2)

O nome oficial do Templo Kiyomizu-dera é “Otowa-san Kiyomizu-dera” e foi estabelecido há mais de 1200 anos, no final do período Nara, quando Enchin, um sacerdote de Nara, teve uma visão que lhe disse para procurar a água pura na origem do rio Yodo.Após procurá-la durante muito tempo, encontrou-a no meio de um bosque coberto por um nevoeiro que se formava como um cinto de nuvens baixas sobre uma cascata ao pé da montanha Otawa.Ali, Enchin recebeu de um idoso um tronco possuído pelo espírito de Kannon Bosatsu. O homem, que se chamava Gyoei, era um praticante de disciplinas ascéticas budistas. Enchin talhou um tronco de árvore em forma do Buda Kannon e colocou-o numa pequena cabana, que viria a tornar-se no Kiyomizu-dera. Naquela época, um guerreiro chamado Sakanoue Tamuramato chegou a essa montanha perseguindo um animal. Ao chegar à origem das águas claras encontrou-se com Enchin, que lhe falou da crueldade de matar os seres vivas.Comovido pelo poder das palavras de Enchin, Tamuramaro regressou das montanhas lamentando as vidas que tinha arrebatado.Ao falar com a sua mulher das virtudes da água clara, dos ensinamentos de Enchin e a bondade de Kannon Bosatsu, os dois converteram-se em devotos seguidores do Buda Kannon e encarregaram a construção de um santuário budista. Posteriormente, Enchin talhou imagens de Jizo-Bosatsu e Bixhamon-Tem, que foram colocadas ao lado da imagem de Kannon.

O Templo Kiyomizu-dera toma seu nome da catarata de água clara e pura que tem origem numa fonte desconhecida no interior do monte Orowa.Durante os seus 1200 anos de história, Kiyomizu-dera tem sido repetidamente incendiado ou destruído, e sempre reconstruído.A maior parte de suas estruturas atuais foram reconstruídas em 1633, no início do período Edo, entre as quais se encontram o Salão Principal, designado como Tesoro Nacional, e 15 edifícios qualificados como Importantes Bens Culturais pelo governo japonês.Situado no meio das montanhas Higashiyama, o monte Otowa sempre foi famoso pelas suas magníficas paisagens e suas vistas sobre Quioto, que se pode desfrutar especialmente desde Kiyomizu-nio-butai.Situado em frente ao edifício principal, este espaçoso terraço denominado “butai” (lugar para dançar) está construído sobre um precipício de 12 metros de altura, suportado por pilares de madeira.A principal figura de adoração é a imagem de onze caras e mil braços de Kannon Bosatsu (Bodhisattva da Misericordia e a Compaixão). Dos 33 templos que por todo Japão formam uma rota de peregrinante dedicada a Kannon, Kiyomizu-dera é o número 16.

Toda a zona formada pelos terrenos do templo ocupa uns 130.000 metros quadrados.

Em 1994, Kiyomizu-dera foi inscrito na Lista do Património Cultural da Humanidade da UNESCO.

 

Entrada: 300 ienes

Acesso: sair na parada de ônibus Gojozaka das linhas 100, 202, 206 e 207, e subir por uma rua cheia de lojas de comida e lembranças.

O templo budista Mimuroto-ji

O templo budista Mimuroto-ji fica na cidade de Uji. Este templo foi fundado pelo imperador Konin, há cerca de 1200 anos. Aqui é possível contemplar uma estátua e várias representações gráficas de Buda, datadas da era do clã Fujiwara. Considerado Património Cultural do Japão, muitas pessoas vêm a este templo em peregrinação da deusa budista da misericórdia

 

 

Há as imagem budista e as pinturade de Buda que feito em a era Fujiwara. Isso é o património cultural importante.Muita gente vêm até aqui domo a terra da peregrinaçao da deusa budista da misericórdia Bodhisattva. O jardim deste templo é constituído por pedras que imitam montanhas e rios.

 

 

 

Na entrada do Mimuroto-ji existe a estátua de uma vaca. Na sua boca, há uma bola que os visitantes deste local sagrado tocam, para que as suas preces sejam atendidas.

 

IMG_7413

Mimuroto-ji também se encontra associado ao Conto de Genji (Genji Monogatari), uma das narrativas amorosas mais antigas da humanidade. Os visitantes e peregrinos que vêm a este templo de Uji, podem comprar a “fortuna do amor”, de Genji.

 

 

Finalmente, Mimuroto-ji também é conhecido pela variedade das flores que aqui se encontram. Todas as quatro estações se apresentam no seu esplendor com as flores típicas da primavera, verão, outono e inverno. É mesmo conhecido como o “templo das flores”. De abril at ao fim de maioes”2mo o “erono, om as flores tse encontram.), uma das narrativas amorosas mais antigas da humanidade.

é ao fim de maio, mais de vinte mil azáleas, único em toda a região de Kansai. Em junho, cinquenta espécies diferentes e mais de dez mil hortênsias. E em fins de junho até começos de agosto, mais de cem de espécies de duzentos e cinquenta flores de lótus. Em novembro, este templo é célebre pelas cores outonais.Há quem diga que este local é um paraíso na terra.

 

 

IMG_7412IMG_7411

HORÁRIO 8:30 – 16:30 (até às 16:00 entre novembro e março)

ENTRADA: 500 ienes

 

ACESSO: apanhar o autocarro / ônibus nº43 que corre entre a estação JR de Uji e o templo Mimuroto-ji. A viagem demora cerca de vinte minutos.

Templo Byodoin

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Templo ByodoinOLYMPUS DIGITAL CAMERA

By Kento Yamori, Yuriko Honda

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Templo Byodoin é um templo budista, localizado na cidade de Uji, Prefeitura de Kyoto.

História

Em 1052, Yorimichi Fujiwara, conselheiro-chefe do Imperador, converteu a casa de campo do seu pai, Michinaga Fujiwara, num templo budista. No ano seguinte, em 1503, foi construído o santuário Amida para aí ser instalado a grande estátua do Buda Amida, feita de madeira e coberta com folhas de ouro. Começou a ser chamado de Phoenix Hall (Salão Fênix), no início do período Edo. O Salão Fênix assim como a estátua do Buda Amida são considerados tesouros nacionais. Em 1994, a Unesco considerou o templo como Património Mundial. Os jardins são nacionalmente designados por Sítio histórico e de beleza rara, retratando um paraíso budista.

Salão Fênix (Phoenix Hall)

Devido à semelhança deste edifício com uma fênix com asas estendidas e ao casal de fênix que adornam o teto, é chamado de santuário de fênix. Este edifício principal do templo é composto por uma estrutura retangular, ladeado por dois corredores laterais em forma de L e um corredor cauda, situado na margem de um grande lago artificial. É a única estrutura original já que as restantes estruturas foram destruídas num incêndio, em 1336.

Hoshokan (museu)

Muito dos tesouros do templo Byodoin estão guardados e são exibidos neste museu. Aqui também encontramos uma loja de “souvenir”.

unnamed

A imagem do Templo Byodoin aparece na moeda de 10 ienes.

Acesso e informação

Apanhar o trem (linha JR Nara)até Uji e depois andar cerca de 10 minutos para o leste. Apanhar o trem (linha Keihan Uji) até Keihan Uji e andar cerca de 10 minutos.   Endreço:116,Uji Rengue,Uji-shi,Kyoto. Telefone 0774-21-2861 Horário 8: 30a.m-5:30p.m Museu 9:00a.m-5:00p.m Dentro do Santuário fênix 9:10a.m-4:10. Visita começa às 9:30a.m. Podem entrar 50 pessoas de 20 em 20 minutos. Aberto todos os dias

Entrada Individual Grupo 25 pessoas ou mais
Adultos 600 ienes 500 ienes
Estudantes 400 ienes 300 ienes (escola primária: 200 ienes)

Curiosidade: Uma réplica em menor escala deste templo (50%) foi feita e inaugurada em 7 de junho de 1968 na ilha de O’ahu, no Vale dos Templos, fazendo parte das comemorações do centenário da chegada dos primeiros imigrantes japoneses ao Havai.

Templo Suzumushi-dera

 

by Chizuru Tateno; Yuina Matsushita

 

Construído em 1723, o seu nome oficial é “Myotokuzan Kegon-ji”, fundado por Hotan, um monge de uma uma fação budista denominada Kegon. Apesar do nome oficial, todos conhecem este templo por “Suzumushi-dera”. “Suzumushi” significa cigarra, em português. Um dia, um monge deste templo decidiu treinar as cigarras para cantarem durante todo o ano e não só no verão.

A vida da cigarra é muito curta, só cantando por pouco mais de vinte dias. Os monges deste templo têm de cuidar a temperatura, umidade e iluminação para manter a população de cigarras durante todo o ano.

Milhares de pessoas visitam este local todos os anos, aqui se sentando e ouvindo o belo cantar e recebendo chá dos monges que contam a história deste templo.

Templo Suzumushi-dera

 

No Suzumushi-dera há uma estátua chamada Kofuku-Jizo (Jizo da Felicidade). É o único Jizo do Japão com sandálias. Há quem diga que ele torna os nossos desejos realidade.

 

Kofuku-Jizo

 

ACESSO

Tomar o trem da linha Hankyu até “Matsuo” e tomar o ônibus para “Kokedera-michi”. Outra alternativa é tomar o ônibus 28 a partir da Estação de Quioto.

Morada: 31 Jike-cho, Matsumuro, Nishikyo-ku, Kyoto

Telefone: 075-381-3830

Horário: 9:00a.m. – 4:30p.m.

Entrada: 500 ienes (inclui chá e doces)

 

 

 

 

 

 

 

 

Kurama-dera

by Madoka Kotani; Misaki Tada; Yasuyuki Ouchi

 

O que é o Kurama-dera?

O Kurama-dera é um templo localizado na montanha ¨Kurama¨ em Quioto. Há muitas montanhas em Quioto, e esta fica no norte da cidade e a sua beleza é bem conhecida há muito tempo. Mas desde o ano de 770, esta montanha se tornou a familiar para os japoneses como uma montanha sagrada.

No ano de 770, este templo de budista foi construído na montanha pelo monge Gantei, que era o Grande Sacerdote de Ganjin. Ele ofereceu um ídolo budista chamado ¨Bishamon¨, que está no fundo de uma sala do templo. Em outros templos no Japão, as coisas mais importantes devem ser guardadas no fundo da sala.

Gantei decidiu edificar este templo porque, uma noite, ele viu um diabo no seu sono e este disse-lhe que existia uma montanha sagrada a norte de Yamashiro (o nome de uma região antiga no Japão). Quando Gantei caminhou para esta montanha, uma ogre feminina atacou-o e ele ficou muito ferido, quase a morrer. Felizmente, conta a lenda que um Deus japonês, ¨Bishamon¨, o salvou. Então ele decidiu criar um templo para adorar esse Deus nesse lugar da montanha que agora se chama Kurama.

Mais tarde, no ano de 796, havia um construtor cujo nome era Isehito Fujiwara. Ele era o chefe dos construtores de um outro templo, que se chama¨Toji¨. Ele sonhava construir um templo em honra de ¨Kannon¨. Quando viu um sonho em que Kannon aparecia na montanha Kurama, ele foi lá para confirmar se o seu sonho era verdade. Quando lá chegou não encontrou “Kannon”. Porém, em outro sonho, ouviu um Deus com figura de criança a dizer: ¨Na verdade, ¨Kannon¨ e ¨Bishamon¨ são o mesmo deus, apenas com nomes diferentes.¨ Isehito acreditou nestas palavras e colocou o ídolo de ¨Sente Kannon¨, criado novamente junto de ¨Bishamon¨.

O templo Kurama-dera aparece em muitas obras literárias japonesas. No livro de ¨Makurano-soushi¨, que é um dos mais famosos do Japão, o caminho de ¨Tsuzuraori¨ é desenhado por Seisho Nagon.

 

  

 

  

 

Eventos anuais

 

・Takekiri Eshiki     20 de junho

É uma cerimónia de corte de bambu, baseada numa lenda sobre o monge Buen. Esta cerimónia realiza-se para rezar por uma colheita abundante.

Quatro estacas de bambu são colocadas no santuário principal e dois bambus com raiz simbolizam a cobra fêmea e outros bambus sem a raiz a cobra de macho. Os quatro bonzos dividem-se em dois grupos, que representam os lados  leste e oeste do Monte Kuruma. Após o sinal, as equipas correm para cortar os bambus com golpes de espada em 8 pedaços e a vitória ou a derrota depende desta rapidez. A área da equipa vencedora terá uma colheita abundante nesse ano.

 

・Kurama no Hi-Matsuri     22 de outubro

Este festival decorre no Santuário Yuki-jinja. Às seis da tarde, pessoas carregam tochas de fogo e anunciam a chegada do festival com cântigos de “Saireya-Sairyo”. A parada dura toda a noite. Toda a zona de Kurama fica embrulhada pelo fogo, no que é conhecido como um dos três festivais mais excêntricos de Quioto.

  

 

Informação

・Endereço: 1074 Kurama-Honmachi Sakyo-ku Kyoto-shi

Da estação de Kyoto:  Tome o autocarro / ônibus municipal número 4 ou 17.

Na paragem de ¨Demachiyanagi eki mae¨(Frente da Estação Demachiyanagui), saia do autocarro / ônibus e tome o comboio / trem de Eisan até a Estação de ¨Kurama¨. Depois tem de andar 5 minutos a pé.

・Telefone: 075-741-2003

・Horário: 9:00 – 16:30

・Entrada:  Adultos – 200 ienes

Crianças (até alunos da escola secundária)  – gratuito

 

Daikaku-ji

by Tomomi Serizawa

Templo Daikaku-ji

O Templo Daikaku-ji, também conhecido por palácio das flores, deve o seu nome ao monte onde se situa, coberto pelas cerejeiras em flor na primavera e pelas folhas vermelhas no outuno.

O Imperador Saga, que gostava muito deste lugar, construiu aqui um palácio para morar com a sua esposa. Depois de morte do Imperador, em 876, tornou-se num templo budista.

Ainda hoje podemos encontrar no Daikaku-ji vários biombos do Período Momoyama e Edo, legado da família budista do Imperador Saga. No cento do templo fica a sala do dono e jardim para os convidados do Imperador Saga.

O corredor que liga o salão principal e os quartos faz um ruído propositado cada vez que alguém anda. Desta maneira eram evitadas “surpresas” inesperadas. A este tipo de chão se dá o nome de Uguisu-bari.

Ao lado templo existe um pequeno lago chamado Osawa-no-ike. Este lago imita o estilo de construção chinês, fruto da amizade do Imperador Saga com Kukai, um monge budista que havia estudado na China durante cinco anos.

Antigamente, a aristocracia gostava de observar a lua numa pequena embarcação enfeitada que flutuava no Osawa-no-ike . Ainda hoje é possível observar a lua durante um festival aqui realizado na noite de lua cheia de outono (por volta da segunda semana de outubro).

ACESSO

Endereço: Osawa-machi 4, Ukyoku, Kyoto-shi

Telefone: 075-871-0071

Ponto de ônibus: Daikaku-ji-mae (ônibus número 28, 71 ou 81)

Horário: 9:00~16:30

Entrada: 500 ienes









O Templo de Kiyomizu

by Kanako Takahashi; Tomoe Tsukada; Nami Yamada

【1. História】

O Templo de Kiyomizu foi construído no ano de 780 por Sakanoueno Tamuramaro, famoso chefe militar da Era Heian. Foi reconstruído em 1633 por Iemitsu Tokugawa, terceiro shogun da dinastia Tokugawa. Este templo é o segundo mais antigo de Kyoto.

【2. Os defensores do templo】

Quando visitamos o templo de Kiyomizu, vemos esta paisagem da fotografia. Primeiro, vejamos o portão. Diz-se que ao atravessá-lo, nos afastamos dos desejos mundanos, pois entramos no terreno sagrado do templo. Em seguida, nos deparamos com as estátuas de cães. Eles são os defensores dos templos e dos santuários xintoístas. São chamados Koma-Inu. Dizem que a origem deles está na Pérsia e na Índia entre os séculos 3 e 4. Em geral, o da direita está abrindo a boca e o da esquerda está fechando. Mas, estes do templo de Kiyomizu estão ambos abrindo a boca. Dizem que a razão é mostrar que eles estão dando as boas vindas aos visitantes que subiram a longa ladeira até a entrada do templo.


【3. Hondo ― O pavilhão principal】

Este prédio da fotografía é o pavilhão principal. Para a nossa surpresa, esse prédio foi construído sem nenhum prego. Como é possível um prédio de tamanha altura ser sustentado sem pregos?O fato é que 139 pilares e 90 vigas encaixados estão sustentand. Assím, é muito forte e poder resistir a qualquer desastre natural.

【4. Jishu: um santuário xintoísta dentro do templo】

A história deste santuário xintoísta é muito antiga, mas não se sabe ao certo quando foi construído. Dizem que é muito bom para quem deseja arranjar casamento e é popular entre as mulheres em especial. Trinta mil turistas visitam esse santuário por mês. O prédio atual foi construído em 1633 por Iemitsu Tokugawa. Lá há duas pedras que nos mostram a sorte no amor. A distância das pedras é de 10 metros. Se você visitar esse santuário, experimente o seguintes: primeiro, ande com os olhos fechados de uma pedra até a outra. Se você for capaz de andar sem receber orientação dos amigos, você terá sorte no amor. Mas, se você precisar da orientação dos amigos, também precisará de conselhos no amor.

【5. Tetsugeta】

São tamancos japoneses. Esses tamancos são de ferro. Dizem que se as mulheres os tocarem, elas nunca terão problemas em encontrar sapatos que as agradem. Mas se os homens os tocarem, eles nunca poderão trair suas esposas, porque estarão ligados a elas por correntes.

【6.Syakujyou】

Syakujuyou é um dos instrumentos do Buda. Tocamos o sino de cima e, com o tilintar, podemos eliminar os desejos mundanos. Mas, na verdade, é usado quando os monjes budistas recitam as escrituras sagradas.

【7.Acesso ao Templo de Kiyomizu】

Para chegar ao templo, pegue o ônibus número 206 ou 100 da estação de Kyoto, desça na parada Gojo-zaka e ande mais ou menos 10 minutos até o templo.

Ryoanji

by Masataka Sato


Ryouanji é o templo de Rinzai e foi fundado por HOSOKAWA KATSUMOTO, um famoso militar. O terreno inicial era maior do que o atual, mas foi reduzido devido a vários incêndios. Ryoanji foi classificado pela UNESCO como patrimônio mundial da humanidade.

O Hojo é conhecido como “o jardim rochoso de Ryoanji”. A sua largura é 22 metros e profundidade é 10 metros. As suas areias brancas são forradas e contêm15 pedras. Este jardim representa o jardim de pedra (KARESANSUI) e compara as areias com a corrente da água. Existem 15 pedras, mas o visitante só consegue encontrar 14. No oriente o número 15 significa a perfeição, porque a lua da noite de 15º é uma lua cheia. Por isso, este 14 significa a “imperfeição”. E também pelo conceito do Japão de que o que “colapso começa quando qualquer coisa começou”.

Tsukubai é um pequeno tanque de pedra com água para lavar as mãos e a boca antes de beber CHÁ. 4 kanjis são escritos nesta pedra e a frase significa “Eu estou satisfeito com a vida presente”. Portanto, se não conseguir identificar as 15 pedras, não seja ganancioso e viva a sua vida em que sempre posso sentir satisfeito “agora”.
KYOYOCHI(oshidoriike) o lago do pato de mandarim

Há um grande lago no lado sul do templo.O jardim ao lado do lago era mais famoso que o jardim HOJO, porque era um lugar onde os patos de mandarim juntam.

Telefone : 075-463-2216

Entrada : adulto 500 ienes; criança 300 ienes

Acesso : Descer na Estação de Ritsumeikandaigaku-mae(número50 de outocarro cidadão) e depois 7 minutos a pé.

Templo de Jisha

by Koshi Soeta; Kanako Yoshida

O Templo de Jisha fica em Higashiyama, na Prefeitura de Quioto.

Até ao Período Edo, o templo foi uma divindade local do Templo de Kiyomizu. No templo, ’’Okunishu’’ (um personagem da mitologia japonesa) é muito popular como deus do matrimônio para os casais e os jovens.

A sua fundação remonta ‘‘Período Kamiyo’’ (660 a.C.), ou seja o Templo de Jisha se é anterior à prórpia fundação do Japão!

O pavilhão do santuário foi completamente reconstruído pelo General Iemitsu Tokugawa em 1663. O portão principal é indicado como propriedade cultural importante do Japão e, em 1994, foi registrado como Patrimônio Cultural, integrado como uma pate do Templo Kiyomizu.

O precinto tem árvores de cereja de lugar famoso que chama “flor da cereja de Jisha”.
No primeiro domingo de cada mês, às 2 horas da tarde, ocorre a festa de Jisha Enmusubi.

No recinto do Templo existem algumas pedras pequenas. Não se sabe quando começou esta tradição, mas são consideradas pedras da fortuna para o bom amor. Diz-se que quem conseguir andar de olhos fechados desde a primeira até a última pedra,terá sorte no amor.

Desde que foi registrado como Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO, tem recebido muitos turistas.

Quando vierem a Quioto, visitem o Templo de Jisha!

PREÇO e HORÁRIO

O Templo geralmente está aberto das 9 horas da manhã até às 5 horas da tarde.
O ingresso para entrar neste Templo custa 300 ienes para adultos e 200 ienes para estudantes do ensino de primeiro grau e de segundo grau.

ACESSO

Duas alternativas:
1.Tomar ônibus nº 206 ou 100 da Estação de Quioto, sair em Gozyozaka ou Kiyomizunomichi, caminhar 10 minutos a pé , passando Kiyomizu no Butai, virar esquerda.
2.Tomar taxi da Estação de Quioto Hachijoguchi. Demora cerca de 15 minutos.

ENDEREÇO

Higashiyama-ku Kiyomizu 1 – 317
Quioto