O Castelo de Nijo

November 30, 2015

by Kazuya Oshima; Ryota Kobayashi

O Castelo de Nijo localiza-se no coração de Kyoto. Tanto pela sua história, como pela sua arquitetura ou pelos seus jardins é um dos locais que não se deve deixar de visitar.

unnamed.jpgkkkk

O Castelo de Nijo foi mandado construir, em 1603, por Tokugawa Ieyasu, um dos shoguns mais importantes do Japão, para residência oficial do shogunato Tokugawa. A sua construção foi concluída em 1626 pelo terceiro Shogun Tokugawa Iemitsu, que aproveitou partes do castelo do Fushimi como o Portão Kara para o completar.

Tem no seu interior dois palácios (o Palácio Nonomaru e o Plácio Honmaru), protegidos por muralhas e fossos, com áreas distintas para Senhor Tokugawa e seus vassalos.

Em 1868, a família Tokugawa entregou o castelo à família imperial e em 1939 passou a ser administrado pelo município de Kioto que abriu as suas portas ao público no ano seguinte.

 

Depois de entrar no Castelo, o primeiro local a visitar é o Palácio Ninomaru, considerado Tesouro Nacional e Património da Humanidade pela UNESCO em 1994. Tem uma área de 3.300 metros quadrados e é composto por 5 edifícios em diagonal que são uma mostra do estilo Bukefushoinzukuri, do período Momoyama (1573-1603). Ao todo há 33 salas decoradas com pinturas luxuosas, correspondendo a uma área superior a 800 tatamis.

 

kkk

Os construtores montaram os pavimentos dos corredores de forma que o piso gerasse um som como um grito de um rouxinol sempre que alguém caminhasse sobre ele. Era uma maneira de garantir a segurança, pois o ranger da madeira alertava para a presença de qualquer intruso.

 

Uma das salas é a Tozamurai-no-ma, que é a que tem maior superfície, uns 1046 metros quadrados. Ao que parece foi usada como sala de espera para os daimyos que iam visitar o castelo.

 

Ohiroma Ichi-no-ma e Ni-no-ma são duas salas contíguas que se podem transformar numa só. Era onde o Shogun se reunia com os daimyos. Estão decoradas com luxuosas pinturas de forma a impressionar os visitantes.Outra coisa importante é que, tal como na sala Chokushi, tinha uma zona mais alta onde o Shogun se sentava e atendia os nobres que se sentavam na parte mais baixa.

 

Neste ponto vamos explicar alguns pormenores destas reuniões para dar uma ideia de como seriam na época:

 

Para começar, os daimyos tiravam a espada longa e só lhes era permitido levar a espada curta. Também tinham de trocar a roupa por outra que dificultava bastante não só os movimentos rápidos, como o equilíbrio, em caso de confrontação.Nestas reuniões, só o Shogun e o seu guarda pessoal levavam roupa apropriada, caso houvesse alguma confrontação. Na sala há vários armários onde se guardavam as mesas e utensílios que ali se podiam usar e tem portas especiais ocultas por onde os guardas pessoais do Shogum podiam entrar na sala e defendê-lo de qualquer tentativa de assassinato.Como se pode ver nesta época havia muitas lutas internas pelo poder e muito receio de traições.

 

Se visitarem o Castelo de Nijo, tenham em conta que para os japoneses uma habitação limpa e desocupada não só mostra ordem como dá a sensação que é maior. O Shogun, com estas salas tão grandes e apenas com o mobiliário necessário naquele momento, pretendia impressionar e dar sensação de poder aos seus visitantes. Assim todo o mobiliário permanecia guardado nos armários, fora da vista dos visitantes.

 

O jardim de Ninomaru foi feito de modo a que o Shogun o pudesse ver quando estava no salão principal do palácio.

 

 

Horário: das 8:45 às 17:00 (última entrada às 16:00)

Encerra às terças em janeiro, julho, agosto e dezembro.

Encerra também entre os dias 26 de dezembro e 4 de janeiro.

Preço: 600 ienes

 

 

Acesso

Tomar o metrô até à Nijojo-mae Station, na Tozai Subway Line

Leave A Comment...

*