Os origens de Higashiyama

April 26, 2010

by Yuko Yamakawa; Ayaka Wakai

 

Higashiyama

 

Higashiyama é um dos distritos mais originais e antigos de Quioto. Verdadeiro centro histórico e cultural de Quioto, é considerado um símbolo de Quioto.

Continuam bem cuidados os templos e santuários relacionados com a família imperal, a família Toyotomi e a família Tokugawa, que foram poderosas naqueles templos, e também os centros antigos de fé.

 

A natureza majestosa que já foi poesia

O distrito Higashiyama situa-se na zona leste da cidade de Quioto, entre a serra Higashiyama e o rio Kamogawa. Uma zona ligeiramente inclinada do rio para a serra espalha-se pela cidade do norte ao sul com a beleza da natureza verde.
Quando um discípulo do famoso poeta Basho Matsuo, Ranetsu Hattori, escreveu o seguinte poema haiku ao ver esta paisagem: “Como se deitasse coberta por um lençol, Higashiyama”. Pensa-se que Hattori se referia à neve que cobria Higashiyama.

 

A história de Higashiyama começa antes da época de Heian

A região Higashiyama tem uma história antiga e era um lugar espaçoso antes das construções que começaram no Período Heian (ano 794 d.C.).
O templo de Hougan, conhecido por Torre de Yasaka, já existia antes da capital se mudar para Heian.

 

Uma época esplendorosa

Quando começou o Período Heian, o templo grande de Houjyu, que a corte de Goshirakawa construiu em Hitijyo, e a residência da família Heike foram construídos em Rokuhara.
Rengueouin, também conhecido por Sanjyusanguendo, é o templo construido por Tairano Kiyomori.No outro lado fica a cordilheira de Higashiyama, de onde se pode ver toda a cidade de Quioto. Esta paisagem começava ter uma caráter de celebração do passado glorioso de Quioto.

 

Uma transformação para a base política dos Samurais

Na época de Kamakura, quando os samurais tomaram o poder, o governo feudal colocou Rokuharatandai como órgão da viagem de serviço. Ele era a base importante da política para guardar a corte imperial e integrar os samurais do oeste no Japão.

Ao entrarmos na época de Momoyama, Toyotomi Hideyoshi planejou fazer um Daibutsu (Buda Gigante) comparável ao do templo Todai em Kyoto e assim construiu o templo Houkou. Por isso, Higashiyama avançou muito. Parece que ele tinha um sentimento especial por Higashiyama, pois muitos templos e santuários xintoístas foram construídos com referência a Hideyoshi.

 

O estilo da cidade de Higashiyama na época de Edo

Mesmo depois de o centro da política ter mudado para Edo (atual Tóquio), Higashiyama continuou alvo de atenção especial como zona política e religiosa. Um magnata empresarial chamado Kashiwaya apareceu e teve influência para o progresso da região. Até agora a casa de Kashiwaya ficou por Touihoukan.

Na mesma época, a zona era muito movimentada por visitantes. O estilo e encanto da cidade de Higashiyama ficou completo nesta época.

 

Uma nova cidade cultural símbolo da modernidade japonesa

Em 1897, para proteger o patrimônio cultural no centro de Quioto, foi inaugurado o Museu Imperial de Quioto. Higashiyama ocupava cada vez mais uma posição importante no aspeto cultural.

Em 1899, MuraiKitibei construiu a primeira fábrica do tabaco em Umamachi. Diz-se que mais de dois mil operários trabalhavam nessa fábrica. Murakami Kichibei que se tornou numa grande magnata por causa da indústria do tabaco, construiu Chorakukan para receber os visitantes. O lindo edifício de estilo ocidental (tem como base o Renascimento) simboliza a modernidade japonesa dessa época.

Em 1910, uma linha ferroviária eletrificada (Kyohan) começou a funcioanr entre Quioto e Osaca. a ferrovia eletrificada de Kyohan funcionou. Esta linha mudou muito a tipologia da cidade de Quioto.

Shinsengumi

by Ay Kagami; Horibe Yuki

 

No final do século XIX, época de transição da sociedade feudal para a moderna, um grupo de samurais desempregados em Edo (antigo nome de Tokyo) foi escalado para manter a ordem e a segurança na cidade de Kyoto. Esse grupo defendia o sistema político vigente, ou seja, o Shogun (guerreiro chefe) como líder político do País, e por ele lutaram. Foi chamado de Shinsen-Gumi e, devido aos seus feitos e à sua coragem, seus membros tornaram-se personagens históricos lendários. Aqui, apresentaremos os principais pontos de Kyoto que estão ligados à trajetória desses guerreiros.

Mibu-Tonsyo

Mibu é o nome de uma cidade do Distrito de Kyoto onde os membros do Shinsen-Gumi ocuparam duas casas particulares pertencentes cada uma delas às famílias Yagi e Maekawa.

A casa de Yagi

Templo de Mibu (Mibu-Dera)

Este templo, que ficava ao lado da casa dos Yagi, era usado como local de treinamento pelos membros do grupo. Também era aí que eles assistiam às peças de Kyogen, comédias do teatro tradicional, e às lutas de sumô.
Templo de Mibu

Templo de Shintokuzen (Shintokuzen-ji)

Diz-se que foi este o lugar onde nasceu o Shinsen-Gumi, pois foi aí que os samurais recém-chegados a Kyoto reuniram-se com aquele que deveria ser o seu e dele ouviram a revelação de que apoiava o imperador e planejava assassinar o Shogun, governante no Japão feudal.

Templo de Shintokuzen

Templo de Nishihongan (Nishihongan-ji)

Em 1865, o grupo que já contava muitos membros, mudou-se para uma base maior, o Templo Nishihongan. Os guerreiros passaram então a fazer o seu treinamento neste templo, mas seus gritos incomodavam os visitantes que foram se tornando cada vez mais raros. Assim, foram obrigados a se transferir para o templo chamado Fudoudousan-ji.
Templo de Nishihongan

O fim do Shinsen-Gumi e o começo da lenda

Os anos vividos pelo Shinsen-Gumi correspondem ao final da Era Edo e ao começo da Era Meiji, época em que o Japão dava seus primeiros passos rumo à modernização. Em meio às tranformações políticas e sociais por que passava o País, o Shinsen-Gumi continuou a apoiar o chefe militar dos samurais, o Shogun. Tornaram-se assim inimigos da corrente majoritária que queria restaurar o poder do imperador e sonhava em modernizar o Japão.
O líder do grupo, Isami Kondo, morreu decapitado em Edo, lutando por sua causa. Alguns dos sobreviventes chegaram a participar do novo governo após a Revolução de Meiji, e outros foram viver no interior do País.
No Japão onde nasceu e atuou, às vésperas da modernização, o Shinsen Gumi tinha poucos simpatizantes. Eram considerados rudes e provincianos, com um estilo de luta deselegante. Mas, para aqueles que sonhavam em perpetuar o shogunato, eram heróis. Foi esta imagem heróica que prevaleceu na História. Hoje, os samurais do Shinsen-Gumi são umas das figuras históricas mais populares do Japão.

A bandeira de Shinsen-Gumi