Shinsengumi

April 26, 2006

by Ay Kagami; Horibe Yuki

 

No final do século XIX, época de transição da sociedade feudal para a moderna, um grupo de samurais desempregados em Edo (antigo nome de Tokyo) foi escalado para manter a ordem e a segurança na cidade de Kyoto. Esse grupo defendia o sistema político vigente, ou seja, o Shogun (guerreiro chefe) como líder político do País, e por ele lutaram. Foi chamado de Shinsen-Gumi e, devido aos seus feitos e à sua coragem, seus membros tornaram-se personagens históricos lendários. Aqui, apresentaremos os principais pontos de Kyoto que estão ligados à trajetória desses guerreiros.

Mibu-Tonsyo

Mibu é o nome de uma cidade do Distrito de Kyoto onde os membros do Shinsen-Gumi ocuparam duas casas particulares pertencentes cada uma delas às famílias Yagi e Maekawa.

A casa de Yagi

Templo de Mibu (Mibu-Dera)

Este templo, que ficava ao lado da casa dos Yagi, era usado como local de treinamento pelos membros do grupo. Também era aí que eles assistiam às peças de Kyogen, comédias do teatro tradicional, e às lutas de sumô.
Templo de Mibu

Templo de Shintokuzen (Shintokuzen-ji)

Diz-se que foi este o lugar onde nasceu o Shinsen-Gumi, pois foi aí que os samurais recém-chegados a Kyoto reuniram-se com aquele que deveria ser o seu e dele ouviram a revelação de que apoiava o imperador e planejava assassinar o Shogun, governante no Japão feudal.

Templo de Shintokuzen

Templo de Nishihongan (Nishihongan-ji)

Em 1865, o grupo que já contava muitos membros, mudou-se para uma base maior, o Templo Nishihongan. Os guerreiros passaram então a fazer o seu treinamento neste templo, mas seus gritos incomodavam os visitantes que foram se tornando cada vez mais raros. Assim, foram obrigados a se transferir para o templo chamado Fudoudousan-ji.
Templo de Nishihongan

O fim do Shinsen-Gumi e o começo da lenda

Os anos vividos pelo Shinsen-Gumi correspondem ao final da Era Edo e ao começo da Era Meiji, época em que o Japão dava seus primeiros passos rumo à modernização. Em meio às tranformações políticas e sociais por que passava o País, o Shinsen-Gumi continuou a apoiar o chefe militar dos samurais, o Shogun. Tornaram-se assim inimigos da corrente majoritária que queria restaurar o poder do imperador e sonhava em modernizar o Japão.
O líder do grupo, Isami Kondo, morreu decapitado em Edo, lutando por sua causa. Alguns dos sobreviventes chegaram a participar do novo governo após a Revolução de Meiji, e outros foram viver no interior do País.
No Japão onde nasceu e atuou, às vésperas da modernização, o Shinsen Gumi tinha poucos simpatizantes. Eram considerados rudes e provincianos, com um estilo de luta deselegante. Mas, para aqueles que sonhavam em perpetuar o shogunato, eram heróis. Foi esta imagem heróica que prevaleceu na História. Hoje, os samurais do Shinsen-Gumi são umas das figuras históricas mais populares do Japão.

A bandeira de Shinsen-Gumi